Após receber denúncia e abrir CPI contra o prefeito Agnelo Santos, Câmara recebe nova denúncia

Destaque Notícias

Após reassumir o cargo depois de ser afastado pela justiça, o prefeito de Santa Cruz Cabrália vem declinando a cada dia, Agnelo Santos que acumula dois escândalos amorosos; 1º trocando a esposa pela amante e 2º uma suposta ameaça por parte da ex-amante (atual companheira) que teria ameaçado uma funcionária por supostamente ter se envolvido amorosamente com o prefeito.

 

Dentre escândalos, desmandos e governo desastroso, o prefeito Agnelo Santos está sendo investigado pela Câmara Municipal por Crime de Apropriação Indébita, nome dado aos gestores e servidores públicos que rouba os cofres públicos.  Na acusação que originou a abertura da CPI, o prefeito é acusado de subtrair valores descontados em folha para pagar empréstimo consignado.

 

Desta vez, a denúncia que foi protocolada na manhã desta quarta-feira 03/04, acusa o gestor de desviar cerca de R$ 400.000,00 (Quatrocentos mil reais) dos cofres públicos). No objeto da acusação está a “Praça Afengue”, uma obra iniciada em 2017 antes do seu afastamento e que permanece paralisada desde seu retorno, entretanto, o município já teria pago algo em torno de R$ 400.000,00.

 

Entenda as denúncias

 

1ª – Vários funcionários estão com seus nomes no SPC/CERASA após contrair empréstimo consignado, entretanto, os valores destinados a pagar o empréstimo foi descontado dos salários dos servidores, mas, não foram repassados ao banco credor. Sem receber os valores devidos da prefeitura que é o real devedor, o banco colocou os funcionários no SPC/SERASA.

 

Após notificações de cobranças, vários servidores prestaram denúncia na Policia Civil e no Ministério Público. Além da CPI instaurada pela Câmara Municipal de Cabrália, o prefeito Agnelo Santos também está sendo investigado pelo MP e Polícia Civil.

 

2ª Denúncia – A obra da Praça Afengue e Urbanização no Distrito de Coroa Vermelha, apenas fui iniciada, no local apenas foi realizado terraplenagem e colocação de meio fio. Paralisada devido o afastamento do prefeito em 2017, a obra continua paralisada até o presente momento, entretanto, segundo denúncia, o prefeito já teria feito pagamento pelo serviço até então executado, o valor de R$ 400.000,00.

 

 

Por – Paulo Lima / CidadeAgoraNews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *