Vereadores articulam anulação de sessão que abriu CPI contra o prefeito Agnelo

Destaques Política
Após votação que abriu CPI contra o então prefeito de Santa Cruz Cabrália, dois dos seis vereadores que acataram a denúncia tentam anular a sessaão após serem beneficiados com nomeações. Os vereadores Agrailson Carvalho e Fãvio Almeida, juntamente com os demais vereadores da base aliada do prefeito Agnelo Santos,  recorreram à Justiça para tentar anular a sessão do dia 19 de março, que acatou a denúncia de improbidade administrativa com pedido de cassação de mandato do prefeito.
A alegação é de que a denúncia foi incluída em última hora, na Ordem do Dia, o que, segundo os advogados dos vereadores, fere o regimento interno. Surpreendentemente, dois dos vereadores que assinam a petição na Justiça, participaram da sessão e mais,  votaram pela aceitação da denúncia e ainda foram sorteados para integrar a CEI, Comissão Especial de Investigação. Agrailson Carvalho, foi escolhido como presidente e Flávio Almeida, como membro. O outro integrante é o vereador Claudio Xêpa, escolhido como relator da comissão.
Agora,os dois membros da comissão investigadora mudaram de opinião R$…
Indiara Ferreira, Gedheon Teixeira da Cruz, Alcides Leal de Abreu,  Gean Sousa Cruz e Josué Santos Sampaio, tentam uma liminar judicial para barrar oprocesso que apura as possiveis irregularidades cometidas pelo prefeito municipal. Na denúncia Agnelo, que já é réu em outras investigações, teria cometido crime ao descontar em folha dos servidores o valor devido por empréstimos consignados e não ter repassado às instituições financeiras, o que caracteriza apropriaçãoindevida de valores.
 
MANOBRAS POLÍTICAS
Poucos dias depois de ter recebido a notificação sobre a denuncia apresentada na Câmara, o prefeito Agnelo Santos fez manobras políticas para tentar se fortalecer em um processo de desgaste que ele criou após ter sido afastado pela Justiça, na Operação Fraternos, que acusa ele, a irmã, prefeita de Porto Seguro e o Cunhado, prefeito de Eunápolis, de desviar R$ 200 milhões dos cofres públicos em licitações fraudulentas.
Depois de ter disparado acusações de desvio de dinheiro contra o vice prefeito Carlos Lero, que assumiu durante os 5 meses de afastamento, Agnelo tentou se redmir reaproximando do vice a um preço muito alto ao município. Numa só canetada foram cerca de 30 nomeações publicadas no Diário Oficial. A maioria absoluta de pessoas ligadas ao grupo de vice prefeito Lero.
Entre eles Alixandro Carvalho de Souza, como chefe de Fiscalização de Feiras e Mercados . Quem é Alixandro?  Irmão do vereador Agrailson, eleito pelo mesmo partido de Lero, o PSC e escolhido presidente da CPI na Câmara, que agora ele tenta barrar.
Fonte: Tribuna do Descobrimento
Por – Paulo Lila / CidadeAgoraNews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *